© 2019 / 2020 Dojo da Luz. Todos os direitos reservados.

 

Introdução

 

 

Aikido, a arte de viver em forma de arte marcial.
 

    O Aikido é uma disciplina marcial baseada na defesa pessoal cujo real propósito é o desenvolvimento físico, mental e relacional do individuo.
    É uma disciplina completa que pretende, pelo meio da técnica, potenciar as noções de equilíbrio e coordenação em detrimento da força e  velocidade. Através da relação constante com o adversário esta técnica permite o prazer da descoberta bem como do domínio dos gestos e das tensões do adversário.
    A procura infatigável do gesto simples e justo que confere ao praticante a facilidade e segurança em si mesmo.


Origem e tradição.
 

    O Aikido foi fundado nos anos 20 pelo mestre MORIHEI UESHIBA (1883 -1969) depois de praticar intensamente diversas artes marciais. Tanto como pelo seu objetivo como pela sua história, o Aikido enquadra-se na tradição do budo japonês e isto significa que através da sua técnica, situa-se como uma disciplina educacional de procura e não como o conjunto de movimentos focalizados só em aplicaçoes imediatas.


Originalidade e Universalidade.


    No centro da família dos Budo, o Aikido confirma a sua originalidade na sua natureza oposta à violência e agressividade. Nunca com o objetivo de anular o adversário através da destruição ou dissuasão mas pelo contrário, considera o conflito como uma situação de
comunicação para controlar a agressividade e permitir escapar da violência.
    Este enfoque original, ambicioso e humano faz do Aikido uma forma de cultura que vai além do exotismo da exaltação típica do super-homem.


Princípios e métodos.


    O foco marcial do Aikido e a sua técnica estão totalmente relacionadas com o objetivo humano e com a não violência, assim as técnicas de projecção e de controlo nunca são traumatizantes pois não são realizadas em oposição direta para o atacante mas são simplesmente a guia do seu impulso para desviar sem ferir o adversário.
    Nesta disciplina são exploradas amplamente as noções de equilíbrio, de união do corpo, de prontidão, de vigilância, de ritmo e de fluência... O que faz do Aikido uma combinação perfeita entre harmonia, estética e arte marcial.


O dojo.


    Um conceito que provem directamente da tradição japonesa e é indispensável conhecer para tirar o máximo proveito do seu ensino.
O dojo é o lugar da prática. Deveria ser considerado como um lugar de privilégio regido por algumas regras que, podendo parecer desagradáveis, são justificadas pela vontade de guiar a atitude e a atenção do praticante com o propósito de dar densidade e profundidade a este espaço-tempo tão particular.
    A atmosfera deve ser ao mesmo tempo estimulante e protetora, atenta e solta, rigorosa e libertadora.
As dinâmicas do Dojo são garantia da função anti-stress do Aikido.

 

Modernidade do Aikido.


    Qual o contributo do Aikido para o nosso equilíbrio no mundo atual?
Antes de mais a prática desportiva, o Aikido exercita todos os músculos e todas asarticulações o que por consequência permite uma melhoria da condição física. Por outro lado, a ausência de competição mantém o praticante afastado de injustiças normalmente verificadas nos desportos muito competitivos, como por exemplo doping ou o excesso de treino etc. No plano moral, o Aikido, pela sua natureza, interpela aos valores essenciais do indivíduo: a perseverança, o rigor, a humildade, a atenção, o compromisso, a responsabilidade e também à profundidade da sua perspectiva de reflexão para sua evolução.
Mas é, sem dúvida, no plano relacional que o Aikido, disciplina de comunicação, constitui uma contribuição insubstituível. O Aikido recorre permanentemente à as capacidades de escuta, de troca e de respeito.
    O Aikido trabalha de acordo com o princípio de avaliação mútua e não de declaração de si mesmo em detrimento do outro. Esta atitude tem grande influência no comportamento da vida civil e, de um modo geral, na concepção das relações com pessoas e com os eventos.

 

Quem pode praticar?
 

    Tendo em consideração tudo o que foi redigido anteriormente conclui-se que o potencial praticante de Aikido abrange um vasto grupo de pessoas desde os mais novos aos mais velhos.
Como as técnicas de Aikido nunca requerem o elevado potencial físico para a sua realização, não seria exagerado dizer que todas as pessoas podem praticar Aikido e desfrutar desta arte marcial.
    Homem ou mulher, alto ou baixo, forte ou fraco, jovem ou velho, serão capazes de encontrar o seu lugar e ser envolvidos na perspectiva do aiki que busca ser universal.

    Relativamente a idade, o mínimo razoável recomendado para a pratica do Aikido é dos 6 anos com o fim de orientar as ténicas à conservação das articulações e o desenvolvimento natural da criança. Pelo contrário, é muito difícil fixar idade máxima recomendada porque a prática do Aikido oferece imensas possibilidades sde modulação em função do temperamento e das disposições ou límites físicos.

 

O'Sensei

   

    Morihei Ueshiba (植芝盛平 Ueshiba Morihei; Tanabe, 14 de dezembro de 1883 – 26 de abril de 1969) foi un mestre de artes marciais japonês. Fundador do aikido, é conhecido como O-Sensei ("Grande Professor" ou "Grande Mestre") por seus praticantes.

 

 

    Muito fraco na infância, seu pai o incentivou a fazer natação e artes marciais para se fortalecer. Passou por um grande número de artes marciais, inclusive por um bom número de desafios em todo o Japão, principalmente no tempo em que servia o exército. Utilizava principalmente o sumô e alguns estilos de jujutsu, e até então nunca tinha perdido uma luta até cruzar seu caminho com Sokaku Takeda, mestre e soke de aikijujutsu do estilo daito-ryu. Ueshiba treinou com Takeda exaustivamente, chegando a ser um de seus alunos mais próximos.

 

    Mais tarde, Ueshiba é chamado para dar aula de artes marciais para a marinha. Assim, funda o aikido.

Na composição de sua arte marcial, o mestre foi buscar a grande maioria do repertório técnico nos ensinamentos de Sokaku Takeda, o estilo Daito-ryu de aiki-jiu-jitsu, que treinou de 1915 a 1937, tendo, inclusive recebida a licença (kyoju dairi) do mestre para ensinar o sistema, em 1922. Tendo também sido agraciado com a espada Kashima Shinden, mestre Ueshiba tornou-se então um representante do Daito-ryu, pelo que excursionou com a Takeda como assistente de ensino e ensinou o sistema aos outros sob o nome de Daito-ryu.

 

    O 15 de Janeiro de 1969, Morihei assistiu às celebrações do Ano Novo. Embora parecesse estar com boa saúde, a sua condição física deteriorou-se rapidamente por causa dum cancro de fígado; e morreu o 26 de Abril de 1969 às 5h da tarde. As suas cinzas foram enterradas no templo da família Ueshibo no cimenteiro de Tanabe, e guardaram-se cabelos do fundador no Santuário Aiki de Iwama, no cimenteiro da família Ueshiba em Ayabe e no Grande Santuário Kumano. Em Junho do mesmo ano faleceu Hatsu.

 

    O 14 de Junho de 1970, o seu filho Kisshomaru Ueshiba foi escolhido pela decisão unânime do Aikikai para suceder ao seu pai como Aiki Doshu e após a morte dele, o 4 de Janeiro de 1999 foi sucedido pelo seu filho Moritereu Ueshiba, neto do fundador.